[Resenha] Os Dois Mundos de Astrid Jones - @Gutenberg_ed

21 julho 2017
Nome: Os dois mundos de Astrid Jones
Autor(a): A.S. King
Páginas: 288
ISBN: 9788582352694
Editora: Gutenberg
Ano de lançamento: 2015
Comprar: Amazon

“O movimento é impossível.” É o que Astrid Jones, 17 anos, aprendeu na sua aula de filosofia. E, vivendo na pequena cidade em que mora, ela começa a acreditar que isso é mesmo verdade. São sempre as mesmas pessoas, as mesmas fofocas, a mesma visão de mundo limitada, como se estivessem todos presos em uma caverna, nunca enxergando nada além.
Nesse ambiente, ela não tem com quem desabafar suas angústias, e por isso deita-se em seu jardim, olha os aviões no céu, e expõe suas dúvidas mais secretas aos passageiros, já que eles nunca irão julgá-la. Em seu conflito solitário, ela se vê dividida entre dois mundos: um em que é livre para ser quem é de verdade e dar vazão ao que vai em seu íntimo, e outro em que precisa se enquadrar desconfortavelmente em convenções sociais.
Em um retrato original de uma garota que luta para se libertar de definições ultrapassadas, este livro leva os leitores a questionarem tudo e oferece esperança para aqueles que nunca deixarão de buscar o significado do amor verdadeiro.

Envolvido no "mundo literário", ouvi falar muito bem da A.S. King, como primeira leitura da autora resolvi começar com "Os Dois Mundos de Astrid Jones", e foi uma experiência muito boa e um tanto quanto emocionante.

O livro vai contar a história de Astrid Jones (meio óbvio né?), uma adolescente que está no último ano do Ensino Médio, louca para terminar e ir para uma faculdade longe da sua cidade atual, que é uma cidade pequena, de interior, lá ela poderá ser quem ela quiser, sem ficar presa aos vizinhos fofoqueiros (que a gente sabe que em cidade pequena, a fofoca rola solta).


Meio incompreendida pela sua família e colegas de escola, muitas vezes Astrid é rotulada como "esquisita", ela meio que não tem uma vida tão social, prefere ficar só com seus dois amigos, Kristina e Justin (o melhor casal da escola), adora as aulas de Filosofia e sempre está lendo um livro ou pensando nos assuntos que essa matéria proporciona para ela. E ela sabe o que a escola comenta sobre ela.

"Mas Sócrates pensou que as mulheres poderiam estudar e deveriam ser incluídas na sociedade. Enquanto muitos de seus pares possuíam escravos, Sócrates disse: 'Escravidão é um sistema de ultraje e roubo."

Como ela se sente excluída, sem muitas pessoas para conversar e se relacionar, acaba sobrando muito amor dentro dela e para isso ela adora deitar no jardim e observar os aviões, mandando amor para todos os passageiros, às vezes fazendo algumas perguntas sobre sua vida para eles. Parece um pouco impossível, né? E fazendo algumas pesquisas, descobri que o "realismo fantástico" está presente em vários livros da autora. 

Aos poucos vamos entendendo o enredo e a mente de Astrid, no começo, tudo é nos dado como mistério, como é narrado em primeira pessoa, ela vai nos contando algumas coisas, mas nunca deixando claro o que realmente é, e isso deixa a experiência de leitura muito boa, porque você quer a todo momento saber o segredo de Astrid, o segredo de Kristina e Justin, quem é tal pessoa e muitas outras dúvidas sobre o desenrolar da história, que até Astrid tem, e junto com ela, o leitor descobre no final.

"Meu segredo é maior do que o segredo dela, porque ninguém sabe ainda. Nem mesmo eu."

É uma história muito linda, sobre aceitação, bullying na escola, problemas com drogas e problemas familiares. É aquele livro que instiga o leitor, que faz o leitor refletir e viver toda a história junto com Astrid, é emocionante e sem dúvidas uma experiência única de leitura. Muitas vezes só lendo a sinopse pode parecer um YA muito bobinho e comum, mas é totalmente o contrário e vale a pena a leitura.

No meio da história, temos alguns relatos dos passageiros que recebem o amor de Astrid, e isso me incomodou um pouco, porque, por mais que fossem muito bonitos, atrapalhava a leitura, vinham no meio de um acontecimento importante e eu ficava meio decepcionado, porque eu estava empolgado com a trama de Astrid e do nada aparecia esses relatos. Talvez foi o lugar em que eles foram colocados, se fosse repensado, poderia ser mais um ponto positivo para o livro.

Enfim, recomendo muito esse livro, vale a pena ler, prometo que vocês não vão se decepcionar. Se você já leu, deixa aí nos comentários para a gente discutir sobre a história!



Abraços e até mais!

4 comentários:

  1. Oi Jorge! Confesso que achei o livro meio esquisito, não consegui imaginar como seriam essas mensagens dos passageiros ajudadas por Astrid, por exemplo. E, fiquei pensando que a história de Astrid deve se misturar com seus questionamentos filosóficos. Acho que eu ia achar a narrativa um pouco enfadonha ou louca demais haha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro mas ainda abem que gostaste de fazer a leitura, mesmo com os seus senãos...!

    Bem, adoro o facto de ter mistério e de ser narrado na primeira pessoa, para alem de abordar tantos temas importantes!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  3. Já tinha visto a capa desse livro e me interessei bastante, mas não sabia do que se tratava. Parece ser um livro muito fofo! Fiquei com vontade ler <3
    Beijos!
    Páginas Empoeiradas

    ResponderExcluir
  4. Um livro com temas bem atuais é que interessante a todos. A capa está bonita e dá uma leveza aos temas levantados. Gostei da dica.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir

- Comente algo sobre o post ou a respeito do blog;
Vamos adorar saber sua opnião, mas sem ofensas e nem palavras baixas, ok?

Obrigada pelo seu comentario ^^
Volte sempre!