[Resenha] Dear Heart, Eu odeio você! - @faroeditorial

19 fevereiro 2018

Nome: Dear Heart, Eu odeio você!
Autor(a): J. Sterling
Páginas: 288
ISBN: 9788595810075
Editora: Faro Editorial
Ano de lançamento: 2017
Comprar: Amazon

Jules era viciada em trabalho. Colocando sempre o amor em segundo plano, sua principal meta era construir uma carreira com sólida reputação. Cal Donovan era muito parecido. Ele havia traçado uma lista de objetivos para alcançar na vida, e nela só havia espaço para ascensão profissional. Mas um encontro ao acaso muda tudo. De repente, o amor não parece uma distração para atrapalhar seus planos. Como fazer um relacionamento dar certo quando a sua cara-metade mora a milhares de quilômetros de você? Como viver esse amor sem abandonar tudo o que construiu? Algumas vezes as nossas mentes elaboram planos, estabelecem metas, perseguem sonhos. E algumas vezes os nossos corações ignoram as nossas mentes e decidem apostar no amo. (SKOOB)

Personagens que tinham tudo para não se misturarem, tudo para que fosse só um lance do momento, estava ali, na cara. Mas não é isso que você encontra nesse livro. Na verdade você vai encontrar dois viciados em trabalho que tem uma química muito forte e instantânea e que vai mexer muito um com o outro ao ponto de que um deles vai quase chegar à beira da loucura com a possível burrada que tenha feito.


Neste livro vamos conhecer Jules, uma corretora de imóveis que está fazendo um curso em Boston, e está amando a cada momento em que está ali trabalhando e aprendendo como melhorar seu próprio trabalho. Só que em uma noite no hotel ela decide tomar uns drinques e no bar acaba conhecendo Cal, que olha que ironia, também é um viciado em trabalho só que mora em Boston mesmo, está no hotel apenas para uma espécie de confraternização e quando ele bate os olhos nessa bela moça e vice versa a atração e instantânea como eu já disse.

O fato é que Jules é da Califórnia e está a poucos dias de voltar para casa então para a cabeça dela não vale a pena se envolver tanto com um cara. Mesmo que Cal tenha mexido muito com ela. Mas o envolvimento é tão intenso que mesmo quando eles se separam eles não se separam de verdade. O relacionamento de ambos continua mesmo que a distância, e fica no ar aquela indecisão de para onde eles estão indo, aonde isso vai dar.


Este foi o meu primeiro contato com a autora tenho que confessar, e me senti completamente envolvida e apaixonada. Sério. Quando eu peguei o livro achei que ia demorar um pouco para ler até porque estava saindo de uma ressaca enorme de leitura, mas sabe o que é pegar o livro para ler às 7 da noite e quando da 2 da manha ele já está finalizado e você já está aqui falando dele na resenha? Essa sou eu.


Eu me senti totalmente envolvida pelos personagens, que em um curto espaço de tempo me fizeram sentir muitas coisas, Cal teve momentos dos quais eu quis matar, pegar a cara dele e arrastar pelo asfalto (se você já leu esse livro sabe por que esse meu impulso), mas também teve momentos que me senti completamente apaixonada por ele. Jules também não fica atrás, uma mulher decidida que acreditava não precisar do amor para ser feliz e nem fazer abdicações para ninguém, se pega tendo que rever muitos dos seus conceitos de vida.


É um livro que recomendo muito para aquele fim de tarde que está de bobeira e quer relaxar com uma leitura mais do que fluida e gostosa, então se ainda não leu esse livro, por favor, leia, eu sei que vai adorar e se encantar com esse casal que não tinha nada para dar certo, mas que mesmo com seus vícios conseguiram encaixar uma coisa que todos nós precisamos na vida. O amor.


J. Sterling nasceu no sul da Califórnia e cresceu assistindo a jogos de beisebol do Los Angeles Dodgers e jogando softbol. Ela se formou em rádio, tevê e cinema, e trabalhou na indústria do entretenimento grande parte de sua vida. O jogo perfeito é o primeiro livro da trilogia The Game.

Esse livro foi uma cortesia da editora.

Beijos! 

Três indicações de séries para assistir na Netflix

18 fevereiro 2018


Olá pessoas!
Quase uma semana sem post novo no blog, me perdoem por isso, mas eu resolvi dar um gás nas coisas por aqui, adiantar leituras, me colocar em dia com as séries e para isso me desliguei um pouco das redes sociais, a única que mantive um pouco mais atualizada foi o instagram, então pra quem não segue vem comigo até o final desse post e clica no link.

Bom, estou aqui hoje porquê preciso fazer três indicações de séries que comecei a ver nesse período e gente, está tirando completamente meu sono, já quero as próximas temporadas e enquanto elas não são liberadas não sei o que fazer, rs

LA CASA DE PAPEL


Oito habilidosos ladrões se trancam na Casa da Moeda da Espanha com o ambicioso plano de realizar o maior roubo da história e levar com eles mais de 2 bilhões de euros. Para isso, a gangue precisa lidar com as dezenas de pessoas que manteve como refém, além dos agentes da força de elite da polícia, que farão de tudo para que a investida dos criminosos fracasse.

RIVERDALE


Riverdale traz uma abordagem subversiva de Archie, Betty, Veronica, Jughead Jones, Josie e seus amigos, explorando o surrealismo de uma pequena cidade e seus curiosos habitantes. A história começa quando a cidade se recupera de uma trágica perda, o que leva Archie a pensar mais seriamente a respeito de seu futuro. Com isto, ele embarca em uma jornada em busca de realizar o seu sonho de tornar um grande músico; mas cumprir essa missão não será nada fácil, enquanto Archie ainda precisa lidar com sua agitada vida amorosa, dividido entre Betty e Veronica.

O JUSTICEIRO


Eu tenho um fraco por séries de super-heróis, se não assisto todas são quase todas e faz tempo que queria assistir "O Justiceiro". No entanto, por não ter curtido muito "Demolidor", fiquei meio hesitante para assistir essa, então imaginem minha surpresa quando logo no primeiro episódio fiquei apaixonada loucamente pelo David, virou amorzinho.

O crime não dura quando Frank Castle está por perto. O veterano de guerra é impiedoso na sua guerra contra malfeitores, alimentada pelo ódio gerado quando sua família foi pega no fogo cruzado durante um tiroteio entre mafiosos


Beijos! 

[Resenha] Minha Versão de Você - @hooeditora

09 fevereiro 2018

Nome: Minha versão de voce
Autor(a): Christina Lauren
Paginas: 352
ISBN: 9788593911057
Editora: Hoo
Ano de lançamento: 2017
Comprar: Fnac

Há três anos a família de Tanner Scott se mudou da Califórnia para Utah, fazendo com que sua bissexualidade voltasse para o armário. Agora, com apenas mais um semestre até o fim das aulas no colegial e seu tão sonhado futuro em uma universidade longe da família, ele só deseja que o tempo passe mais depressa. Quando Autumn, sua melhor amiga, se inscreve na aula de escrita e o desafia a participar, Tanner não consegue recusar o convite, afinal de contas, quatro meses é tempo mais do que suficiente para escrever um livro, certo? O garoto está mais certo do que imagina, pois leva apenas um segundo para que ele note Sebastian Brother, o prodígio mórmon que, nas aulas de escrita do ano anterior, escreveu e publicou o próprio livro, e agora orienta a turma. Se quatro meses é muito tempo, um mês pode não ser. E é exatamente esse tempo que leva para Tanner se apaixonar por Sebastian.(SKOOB)

Antes, Tanner vivia na Califórnia, que por ser uma região mais avançada, acaba sendo um estado mais tolerante, e lá, ele era assumidamente bissexual. Por algumas oportunidades de trabalho para a mãe dele, a família acaba tendo que se mudar para uma cidade no Utah, onde os habitantes são, em sua grande maioria, Mórmons, e muito intolerantes, então a sua sexualidade acaba tendo que ficar em segredo, por proteção. Estando no último ano do ensino médio, Tanner só quer terminar e ir para uma faculdade onde ele possa ser quem ele quiser.

“Coragem é ser você mesmo todos os dias em um mundo que lhe diz para ser outra pessoa.”


Todo ano a escola faz um curso de escrita, em que alguns alunos são aprovados para participar e devem escrever um livro ao longo das aulas, no ano passado, Sebastian Brother, o filho do bispo da igreja e grande prodígio mórmon, conseguiu se destacar nesse curso e assinou um contrato de publicação com uma editora e irá orientar as aulas desse ano, que Tanner e sua melhor amiga, Autumn, participarão.

Logo no primeiro dia de curso, Tanner já se vê tendo um crush pelo filho do bispo, e isso iria se tornar um grande problema. Como se não bastasse, a única ideia que ele tem para seu livro, é exatamente a história de um garoto não-mórmon, bissexual que se apaixona por um menino extremamente mórmon, Sebastian ao ajudá-lo na escrita, acaba lendo o começo da história e logo a gente descobre que esse sentimento pode ser recíproco também.


“Mas se uma árvore cai na floresta, talvez, ela não faça barulho. E, se um garoto tem uma paixão pelo filho não assumido do bispo, talvez isso não faça uma história.”

As autoras Christina Hobbs e Lauren Billings (pseudônimo Christina Lauren) vão desenvolver um livro maravilhoso, com a luta de Sebastian para permanecer no caminho da igreja e manter sua relação com Deus, mas ao mesmo tempo estar com Tanner e querer assumir sua sexualidade, mesmo sua religião sendo contra, e apesar de aparentar ser um drama muito pesado, a narração de Tanner dá uma balanceada nisso, com algumas tiradas cômicas, que faz o livro ser incrível.

Os personagens são extremamente cativantes e com um desenvolvimento super bem escrito, um adendo para a família de Tanner que são pais incríveis. Tanner e Sebastian tem uma relação muito boa, e eu fiquei o livro inteiro torcendo para os dois ficarem juntos.


Adorei muito a leitura, se tornou um dos meus favoritos desse ano já, conseguiu representar a bissexualidade no YA muito bem e foi um livro incrível que eu realmente acho que todos deveriam ler!



Christina Hobbs e Lauren Billings escrevem sob o pseudônimo de Christina Lauren (combinação de ambos os nomes). Separadas pelo incômodo Estado de Nevada, estas amigas, e co-autoras, se falam várias vezes ao dia, concordam que Ruby Pumps é a melhor cor de esmalte que já existiu, e, se pudessem escolher, passariam o dia todo olhando para o oceano a partir do cais de San Clemente.
Até mais! 

[Resenha] Mil beijos de garoto - @PlanetaLivrosBR

07 fevereiro 2018

Nome: Mil beijos de garoto
Autor(a): Tillie Cole
Paginas: 400
ISBN: 9788542209822
Editora: Planeta
Ano de lançamento: 2017
Comprar: Amazon


Um beijo dura um instante. Mas mil beijos podem durar uma vida inteira. Um garoto. Uma garota. Um vínculo que é definido num momento e se prolonga por uma década. Um vínculo que nem o tempo nem a distância podem romper. Um vínculo que vai durar para sempre. Ao menos era o que eles imaginavam. Quando, aos dezessete anos, Rune Kristiansen retorna da Noruega para o lugar onde passou a infância – a cidade americana de Blossom Grove, na Geórgia –, ele só tem uma coisa em mente: reencontrar Poppy Litchfield, a garota que era sua cara-metade e que tinha prometido esperar fielmente por seu retorno. E ele quer descobrir por que, nos dois anos em que esteve fora, ela o deletou de sua vida sem dar nenhuma explicação. (SKOOB)

"Mil beijos de garoto" era um dos livros que mais estava curiosa para ler desde o seu lançamento, confesso que tentei passar longe de todas as resenhas que via para não pegar nenhum spoiler e sim, minhas expectativas estavam bem altas em relação a ele.

Rune acaba de se mudar com os pais para Blossom Grove, na Georgia, por causa do emprego de seu pai, sua adaptação não está sendo tão fácil assim, ele detesta tudo aquilo e não entende o real motivo da mudança. Mas todo esse ódio vai por água abaixo quando ele conhece Poppy, uma menina doce que mora nada ao lado da sua e tem o quarto de frente para o seu. Assim que se conhecem Poppy e Rune ficam amigos, de forma inseparável.


Logo após isso em um dia qualquer, o pai de Poppy vai busca-la na escola mais cedo com a notícia de que sua avó, que estava muito doente, logo não estaria mais entre eles. Aquilo devastou o coração da pobre menina, pois tinha sua avó como melhor amiga, alguém com quem ela compartilhava tudo. No entanto, como presente ela deixa um pequeno pote contendo mil corações de papel, neles Poppy deveria registrar os mil beijos de garoto, os melhores de sua vida, aquele tipo de beijo que quase faz a gente perder uma batida do coração.

Saindo correndo dali com seu novo presente na mão, Poppy vai para o lugar onde costumava ir com sua avó. Vendo Poppy daquele jeito, Rune não hesita em ir atrás dela e lá ele dar um primeiro beijo de garoto dela e promete a Poppy que lhe dará os mil beijos de garoto.


Alguns anos se passam e aquela amizade deles acaba se transformando em outro sentimento, amor. Rune e Poppy estão namorando e tudo ia na mais perfeita harmonia entre eles. Entretanto, uma notícia acaba tirando ambos do eixo. O pai de Rune terá que se mudar novamente para a Noruega por causa de seu emprego e conta para Rune apenas um dia antes, a reação de Rune não podia ser pior, ele passa a nutirir um sentimento de ódio pelo pai, o que ao meu ver é totalmente compreensível, pois ele o estava afastando da pessoa que ele mais ama nesse mundo.

E gente, quem faz isso? Eu mesma não saberia minha reação se alguém fizesse uma coisa assim comigo.

Com isso, eles resolvem aproveitar as poucas horas que ainda tem juntos. Uma noite cheia de declarações de amor e momentos inesquecíveis. Rune então parte na manhã seguinte prometendo que se falariam todos os dias e que um dia voltaria para ela. Contudo, depois de um curto período de tempo, Poppy e Rune deixam de se falar, ela não atendia mais as ligações dele, e-mails, nada. Era como se tivesse sumido do mapa.

Ele ficou completamente arrasado com isso, o que gerou um comportamento rebelde, totalmente oposto do que ele era. Mas mal imaginava ele o verdadeiro motivo que levou Poppy a fazer aquilo e isso nós só vamos descobrir mais pra frente no livro.

Dois anos depois, Rune retorna a Blossom Grove, ele está bem diferente, o cabelo comprido, trajando sempre preto, fumando e bem, não é mais o mesmo. Entretanto, assim que eles se encontram percebem que o sentimento que havia entre eles estava apenas adormecido, Poppy nunca deixou de amar Rune e agora com ele ali novamente, vai ser difícil esconder seu segredo.


O livro é narrado em primeira pessoa por ambos os personagens, assim nós podemos nos familiarizar melhor com cada um deles, acompanhando ambos desde quando eram crianças. A escrita da autora é de forma bastante poética, nos fazendo refletir sobre tudo a nossa volta. Desde o primeiro capitulo podemos sentir a emoção através das páginas desta história e o quão linda é.

A autora retrata a beleza do amor em sua mais bela forma. Não é como outros romances que falam de amor, separação, dor e enfim a reconciliação. Tillie Cole nos apresenta um amor puro, singelo e acho que foi essa uma das coisas que mais me deixou encantada no livro. E mesmo sabendo no que estava embarcando, jamais esperei por aquele final. Impactante? Sim, muito! Mas ao mesmo tempo lindo.

Sem dúvida alguma é uma história que vou carregar comigo durante muito tempo e se puder recomendarei para todos que conheço, é um livro que vale a pena ler, se emocionar e se permitir aprender com as lições apresentadas na história. É um livro memorável.



Tillie Cole nasceu em Teesside, na Grã-Bretanha, filha de uma mãe inglesa e um pai escocês. Graduada na Universidade de Newcastle, ela foi professora por sete anos antes de se mudar com o marido para o Canadá. Escreve romances contemporâneos – como sua série de maior sucesso, Sweet. Mil Beijos de Garoto é sua estreia no gênero jovem adulto.

Beijos!